ANTT LANÇA CAMPEONATO NAS REGIÕES NORTE E NORDESTE EM 2018

Em 2018, a Associação Nacional dos Três Tambores dará mais um importante passo para o desenvolvimento da modalidade em todo o Brasil e fará sua estreia nas regiões norte e nordeste através do 1° Campeonato ANTT Norte-Nordeste de Três Tambores. O projeto de expansão da entidade, que tem como objetivo fomentar o esporte em todo o Brasil, terá¡ sua primeira etapa realizada de 16 a 18 de janeiro na Arena da Lagoa, em São Luiz no Maranhão.

 

“Estar presente em outras regiões é um projeto que já planejamos há alguns anos e comemorando 15 anos de história da ANTT sentimos que este era o melhor momento para dar iní­cio a este sonho”, disse Silvana Bertato, presidente da ANTT. O 1° Campeonato ANTT Norte-Nordeste de Três Tambores será¡ realizado pela Equestre Eventos que adquiriu os direitos da ANTT para as regiões e irá promover as etapas de forma independente, mas sob a chancela da entidade.

 

Estão previstas pelo menos sete etapas até julho, sendo que haverá¡ um ranking próprio e a campe㣠do Campeonato ANTT Norte-Nordeste de Três Tambores garantirá vaga na Grande Final Nacional da ANTT, juntamente com as principais competidoras do Brasil. A representante do norte-nordeste iniciará a Final Nacional com pontuação igual a 10ª colocada da categoria Silver Race e estará¡ apta à concorrer ao título desta categoria.

 

Com as etapas nos estados do norte e nordeste a ANTT garante presença em todas as regiões do Brasil, já que atualmente o Campeonato Nacional de Três Tambores realiza etapas nas regiões sul, sudeste e centro-oeste. ” É um grande passo para o desenvolvimento da modalidade em todo o Brasil. A prova dos Três Tambores vem crescendo muito no norte e nordeste e a ANTT está¡ orgulhosa em poder fazer parte deste crescimento a partir de agora,” completou a vice-presidente da ANTT, Flávia Cajé.

 

A Equestre Eventos tem tido grande importância no desenvolvimento da modalidade dos Três Tambores no norte e nordeste, e acredita que a parceria com a ANTT, que realiza o maior campeonato do Brasil, irá colaborar muito para o crescimento da modalidade nestas regiões. “Nossa expectativa é de alcançar uma grande adesão de competidoras, devido ao nome da ANTT e a possibilidade de conquistarem uma vaga de competirem entre as melhores do Brasil na grande final nacional,” declarou Luiz Almeida, diretor da Equestre Eventos.

Além  da equipe da Equestre Eventos, o 1° Campeonato ANTT Norte-Nordeste de Três Tambores contará¡ com o suporte de Miguel Alves, juiz de provas cronometradas e organizador, que atuou durante muitos anos nas etapas da ANTT e conhece bem o espirito de organização e profissionalismo que sempre pautaram a entidade e deve ser um grande colaborador para o sucesso desse novo projeto.

 

Mais informações sobre o 1° Campeonato ANTT Norte-Nordeste de Três Tambores podem ser obtidos através do contato (98) 98112-8482 com Luiz Almeida ou através das redes sociais da ANTT.

Os desafios de uma mulher ao gerir uma associação dentro do rodeio

A Associação Nacional de Três Tambores é a única que mantém-se ativa no meio há 15 anos

Desde que foi lançada, a ANTT é gerida pelas próprias competidoras. É uma entidade que surgiu para regulamentar e ajudar a fazer crescer o esporte Três Tambores dentro dos rodeios, e mais do que isso, fazer com que todos que operam a maquina entendessem as necessidades do esporte. Ao logo desses 15 anos, as conquistas foram muitas e importantes. Com um trabalho serio e idôneo, diretoria após diretoria foi vencendo batalhas e conquistando um espaço importante para o esporte.

Priscila Aguiar, Paula Camargo, Silvana Bertato  e Flávia Cajé são os nomes que já ocuparam (e ainda ocupam, no caso a Silvana é atual presidente), o cargo de presidente da ANTT. Cada uma com sua experiência e contando sempre com a ajuda uma da outra. A ANTT é uma família em que cada membro das diretorias, que se renovam a cada dois anos, seguem a mesma linha de pensamento, fazendo da associação uma instituição mais forte a cada temporada. Quando Flavia Cajé assumiu a presidência, em 2012, ela já tinha noção do que enfrentaria, e peitou tudo e todos defendendo a ANTT a todo custo. Baixinha, com voz calma muitas vezes, procurando sempre mediar os conflitos da melhor forma, ela é uma leoa guerreira quando o assunto é a ANTT.

Confira nossa conversa com ela!

Como sua história com os Três Tambores começou?

Flávia:  Meu irmão amava cavalos e acho que por influência dele eu comecei a amar também. Ele tinha uma égua da raça Mangalarga, a Garota, e através dela começamos a conhecer outras raças e as modalidades. A primeira modalidade que fiz foi o Team Penning, com meu pai e meus irmãos. Mas foi só uma questão de tempo começar a fazer os Três Tambores. Eu amava assistir quando era criança, no centro de treinamento onde treinávamos Team Penning. Mas foi no Barretos Country Hotel, onde antigamente funcionava um CT, que eu comecei no Tambor.

Como conheceu a ANTT?

Flavia: Através de um treinador que tive e também por intermédio da Flávia Guerra, que na Época era uma das diretoras e muito minha amiga. Sua família patrocinava e incentivava muito a entidade, que ainda estava no começo.

E como foi o convite para participar da diretoria?

Flávia: Comecei a competir pela ANTT em uma etapa em Cândido Mota e foi um horror (risos). Teve um temporal que destruiu a festa quase que toda. Vi as meninas da diretoria fazendo de tudo para realizar a prova, presenciei o esforço e dedicação delas e fiquei admirada. Não conhecia quase ninguém e foi naquele momento que quis conhecer e, quem sabe, tentar ajudá-las. Era final de 2005, se não me engano. No ano seguinte, passei a seguir o campeonato todo, a amizade com mais meninas foi crescendo, e também puder conhecer melhor a ideia delas em relação ao esporte. Nesse ano mesmo, 2006, fui convidada para fazer parte da diretoria. No começo não ajudava muito, pois não entendia como poderia colaborar. O tempo foi passando e fui tentando ajudar mais. Aos poucos fui aumentando a minha ajuda, aprendendo com cada uma das diretoras. Todas as meninas faziam o que podiam, e algumas vezes, o que não podiam, para a ANTT melhorar como esporte dentro do rodeio.

E para chegar a presidente, como foi essa caminhada?

Flavia: Foi no final de 2011, durante a final da ANTT em Paulínia. Marcamos uma reunião da diretoria lá e estávamos desesperadas, pois estávamos em um momento de grande dificuldade. Foi um ano bem complicado para fecharmos etapa, quase não tínhamos dinheiro para continuar. Nessa época, entrou outro campeonato, que oferecia a prova de graça dentro do rodeio, enquanto para ter a ANTT era preciso que as comissões pagassem, o formato que a ANTT sempre fez. Então, aquele ano foram de negociações muito difí­ceis e um sufoco para conseguirmos fechar etapas. Então, naquela reunião, sentamos e pensamos que tín­hamos que parar, que não dava mais para trabalharmos de graça. Lembro que olhei para cada uma e o nosso semblante era de decepção, o que me marcou muito. Foi ai que aceitei virar presidente da ANTT e decidi que se a ANTT fosse acabar, tínhamos que acabar tentando. O meu pensamento era de que enquanto eu estivesse ali não ia deixar a ANTT acabar. E, graças a Deus, todo nosso esforço e dedicação valeu a pena. Daquele dia para frente, a ANTT só cresceu, passamos por vários obstáculos ao longo dos anos e vencemos. Até hoje, cada dificuldade que temos, paramos e respiramos. Agora sabemos que podemos ultrapassar por qualquer barreira. Fiquei como presidente até começo de 2015.


Em uma das reuniões de diretoria da ANTT

Assumir a ANTT mudou a sua rotina e a sua vida?

Flávia: Muito (risos). Enquanto fui presidente, dediquei todo o tempo para a ANTT. Fomos conseguindo parceiros e fazendo reuniões, reuniões e mais reuniões. Conquistamos grandes vitórias e tivemos algumas perdas, mais faz parte de qualquer projeto, né. E até hoje, mesmo eu não sendo presidente, mas ainda fazendo parte da diretoria e ainda a frente de muitos projetos dentro da ANTT, muitos dias do meu ano são dedicados à  Associação.

Mas você ainda continua na linha de frente. Como é gerir uma associação como essa?

Flavia: Quando sai da presidência, eu já tinha feito um trabalho Árduo e tinha meio que pegado o jeito (risos). Quando a Silvana (Bertato) voltou como presidente, ela, e toda a diretoria, decidiu que eu continuaria fazendo o trabalho na linha de frente, junto com a Graziella Agnes, claro que com a supervisão e ajuda dela e de toda a diretoria.

Gerir a ANTT, ao mesmo tempo que é gratificante, é bem difí­cil. Temos muitos entraves, mais acredito que hoje o mais difícil, na minha opinião, é encontrarmos grandes empresas que não sejam do ramo para investir. A parceria de empresas de grande porte e de outros segmentos poderia levar o esporte para quem não conhece, ou não gosta, ou ainda para quem tem uma visão errada. Se pudéssemos mostrar o que somos, acho que abriria ainda mais portas. Acho que devido algumas propagandas negativas sobre o esporte com animal (qualquer esporte), dificultou muito essa parte. Se tivéssemos esses apoio, facilitaria muito, o esporte equestre de uma maneira geral, e a ANTT e os Três Tambores incluídos, cresceriam e se valorizariam muito mais.


Final de campeonato junto as demais diretoras

Mas porque vale tanto a pena continuar, qual é a parte mais gratificante desse trabalho?

Flavia:  Lembra que falei que elas ganharam minha admiração na primeira prova que eu fui? A partir do momento que comecei a ajudar, eu senti o espírito da ANTT, e é isso que me desafia cada vez mais a melhorar pontos que ainda não estão ideais. E cada vez que conseguimos superar um obstáculo, procuro outro para superarmos aquele também (risos).  Sinto orgulho do que a ANTT é hoje e saber que eu colaborei, por pouco que seja, sinto uma felicidade sem tamanho.

O que dizer para quem não acredita na importância da ANTT?

Flavia: Acho que não tem como alguém do meio não acreditar no trabalho da ANTT hoje. Na Época da Pri ou da Paula, acho que isso aconteceu muito, e até quando eu peguei a presidência, mais acho que hoje não tem como. Cada dia que passa trabalhamos muito para crescermos e as pessoas enxergam isso. E se tem alguém que não enxerga, calma, que ela ainda vai enxergar.

Ainda acho que tem gente que pensa que é fácil, mas como em qualquer área, sempre vai ter gente que acha que o melhor não fez nenhum sacrifício para conseguir ser o melhor, sempre vamos escutar isso.

Como a ANTT mudou a forma que as pessoas do rodeio enxergam os Três Tambores?

Flavia: A ANTT colaborou muito para valorizar o Tambor dentro do rodeio. A questão do camping e pista, por exemplo, hoje todas as comissões sabem que o cavalo precisa correr em uma pista adequada e não de qualquer jeito, precisam ficar alojados com suas competidoras em um local com Água e luz, pra dizer o mínimo. Desde o credenciamento, até a forma de todas as comissões de rodeio respeitarem o nosso esporte hoje, foi uma evolução, ano a no, e que a ANTT foi uma das que colaborou para que a visão de todo mundo mudasse. A ANTT brigou muito para isso tudo que temos hoje acontecesse. Mas ainda temos que exigir e argumentar em muitos eventos, para eles entenderem o quanto a modalidade é grandiosa e importante, e o motivo pelo qual pedimos tudo que tem nos contratos.

Eu só tenho a agradecer por todos esses anos dentro da ANTT. Aprendi muito e hoje sou uma pessoa muito melhor devido a todos os momentos e aprendizados que tive com cada um dos profissionais, diretoras, competidoras e seus familiares, parceiros (empresas, eventos e entidades) que trabalhei dentro do campeonato ao longo desses 11 anos que faço parte. É uma honra para mim vestir a camisa da ANTT e, mesmo que eu saia da ANTT, a ANTT nunca sairá de mim!

Por Luciana Omena
Fotos: arquivo pessoal

NOSSOS SENTIMENTOS

É com profunda tristeza e pesar que comunicamos o falecimento de nossa querida Ana Luiza Franzin Júlio, batalhadora incansável e um dos grandes pilares da ANTT. Ana Luiza, mãe da competidora Tamara Júlio, foi uma das principais incentivadoras e patrocinadoras de nossa associação, ao lado de Renata Aguiar, também mãe da competidora Priscila Palermo. Ambas trabalharam voluntariamente durante anos em prol do crescimento e sucesso da ANTT. Uma dupla perfeita que dentro e fora das arenas atendiam a todas as competidoras sempre com muito carinho e respeito, criando laços do que é hoje a família ANTT.

Desejamos prestar nossa homenagem, solidariedade e sinceras condolências a toda a família Júlio neste momento de dor. Rogamos a Deus em nossas orações para que a receba de braços abertos em Sua eterna glória.

KEILA MENDONÇA E STHEPANIE RODRIGUES SÃO AS CAMPEÃS DA ETAPA BÔNUS NA PROVA DA FNSL

Aconteceu no último fim de semana a 2ª Prova Estrelas da ANTT, que encerrou o calendário 2017 da Associação Nacional dos Três Tambores. A prova válida como etapa bônus da Temporada 2017/2018 aconteceu durante a 15ª Prova FNSL, na Fazenda Nossa Senhora de Lourdes, em Jaguariúna-SP.

 

O tradicional evento aconteceu de 09 a 12 de novembro, com diversas categorias e a participação de centenas de competidores de todo o Brasil. No domingo, dia 12, aconteceram as competições válidas pela ANTT, na Categoria Feminino e na Categoria Mirim, que incluiu todas as Categorias Jovens até 12 anos.

 

A diretoria da ANTT comemorou o sucesso de mais uma etapa bônus e a parceria com a organização da prova. Em nome da presidente Silvana Bertato, a ANTT agradece ao casal Roberta e Thomaz de Melo e Souza, proprietários da Fazenda Nossa Senhora de Lourdes e a equipe da R4 Eventos, que deram todo o suporte necessário para a realização de uma prova de qualidade. Os agradecimentos vão também as competidoras, treinadores e familiares que estiveram presentes nesta prova, que ajudam a tornar a ANTT cada vez mais forte.

 

Na Categoria Feminino, houve recorde de inscrições em 15 anos de história da prova. A vitória foi da paulista Keila Mendonça, que marcou o tempo de 17,089 segundos montando Laysa Cream. Esta foi a primeira vitória da competidora de Pindamonhangaba que foi vice-campeã nacional pela ANTT na Temporada 2014/2015.

 

A segunda colocação da etapa bônus ficou com a competidora Kelly Caroline Pereira, com o tempo de 17,311 segundos em conjunto com Top Glories ZD, seguida de Ana Carolina Cardozo que montou Cromo Down Jet WA e marcou o tempo de 17,375 segundos. Completaram o pódio, Ellen Sayuri em quarto lugar com Venas Bee Peppy e Mariana Jubran, com Poco Brisco 5T.

 

Entre as pequenas da Categoria Mirim, a vitória ficou com Stephanie Rodrigues, que venceu pela segunda vez na temporada. A competidora que havia vencido a prova de abertura da temporada no Jaguariúna Rodeo Festival, conquistou mais um título ao marcar 17,483 segundos em conjunto com Xogum Gamay. Com mais esta vitória, Sthepanie deve se firmar entre as três melhores do ranking e entrar na briga pelo título nacional.

 

Líder do ranking, Ellen Sayuri se distanciou ainda mais das concorrentes ao terminar na segunda colocação na prova. Montando Venas Bee Peppy, mesmo animal que lhe deu a quarta colocação na Categoria Feminino, a competidora obteve o tempo de 17,504 segundos e confirmou a excelente fase. Maria Júlia Ghiraldi foi a terceira colocada, seguida de Pietra Maciel e Rafaela Machado, respectivamente em quarto e quinto lugares.

 

SOBRE A ANTT

A Temporada 2017/2018 da ANTT – Associação Nacional dos Três Tambores, comemora os 15 anos de história da entidade. Fundada em 2003 por um grupo competidoras com o objetivo de promover, valorizar, organizar e defender a prova dos Três Tambores, principalmente nas arenas de rodeio, a ANTT se tornou referência no mundo equestre. Atualmente o Campeonato Nacional de Três Tambores, promovido pela ANTT, é o maior e melhor do país, presente em alguns dos principais eventos do calendário nacional e contando com a presença das mais renomadas competidoras da modalidade. Realizado consecutivamente desde 2004, o campeonato da ANTT chega a sua 15ª edição nesta Temporada, sendo o mais antigo em atividade nas arenas brasileiras e o mais duradouro da história do rodeio nacional.

 

Resultado Oficial – Etapa Bônus – FNSL – Jaguariúna-SP

Categoria Feminino

1 – Keila Mendonça (Laysa Cream) – 17s089

2 – Kelly Caroline (Top Glories ZD) – 17s311

3 – Ana Carolina Cardozo (Cromo Down Jet WA) – 17s375

4 – Ellen Sayuri (Venas Bee Peppy) – 17s439

5 – Mariana Jubran (Poco Brisco 5T) – 17s455

6 – Kelly Calle (GF Angelina Rey) – 17s470

7 – Rafaela Slaviero (Django Red Agae) – 17s478

8 – Louise Rugolo (Roseanna Seis) – 17s479

9 – Fatiana Ferreira (Exclusive Moon) – 17s511

10 – Viviane Gratão (Linda Dry Jiggs) – 17s540

 

Categoria Mirim

1 – Stephanie Rodrigues (Xogum Gamay) – 17s483

2 – Ellen Sayuri (Venas Bee Peppy) – 17s504

3 – Maria Julia Ghiraldi (Leidy peppy Zorrero) – 17s978

4 – Pietra Maciel (Speed Times) – 18s010

5 – Rafaela Machado (Winnin Ardoc) – 18s390

 

Assessoria: Agência PrimeComm

ANTT REALIZA ETAPA BÔNUS NA 15ª PROVA DA FNSL EM NOVEMBRO

Em novembro a ANTT – Associação Nacional dos Três Tambores estará de volta a cidade de Jaguariúna, interior de São Paulo, para a realização de mais uma etapa bônus durante a 15ª Prova de Tambor FNSL. O evento acontece de 09 a 12 de novembro, na Fazenda Nossa Senhora de Lourdes e tem organização da R4 Eventos.

 

A prova distribuirá uma das maiores premiações da modalidade três tambores nesta temporada, totalizando R$ 275 mil em prêmios em cerca de 20 categorias, além de uma premiação extra de R$ 100 mil caso haja a quebra do recorde mundial de 16.399 segundos. Também haverá uma premiação especial de R$ 50,00 por cada milésimo de segundo que algum competidor conseguir abaixo do recorde da pista, que é de 16.717 segundos.

 

Em nome de toda a diretoria, a presidente da ANTT, Silvana Bertato agradece antecipadamente ao casal Roberta e Thomas de Melo e Souza, proprietários da Fazenda Nossa Senhora de Lourdes e que estão realizando a prova, por mais uma vez confiar nesta parceria e realizar uma etapa bônus do maior campeonato de três tambores do Brasil durante o evento.

 

As inscrições podem ser feitas através do site www.r4sistema.com.br com desconto até o dia 08 de novembro. Na Categoria Feminino, todas as competidoras que estiverem inscritas nesta categoria durante a prova e forem filiadas, irão pontuar para o ranking. Cada competidora poderá realizar quantas inscrições desejar, desde que com animais diferentes.

 

Já para a Categoria Mirim, que inclui todas as categorias Jovem até 12 anos, as competidoras devem assinalar com antecedência em qual delas deseja pontuar para a ANTT. Há a opção de escolher mais de uma categoria, desde que seja com animais diferentes e caso pontue em duas ou mais categorias, irá para o ranking apenas o melhor resultado da competidora. A Categoria Feminino e as provas válidas pela Categoria Mirim acontecem no domingo, dia 12 à partir das 7 horas da manhã.

 

A pontuação será distribuída para as 10 melhores da Categoria Feminino e para as cinco melhores na Categoria Mirim e vale ressaltar que em etapa bônus a pontuação é reduzida em relação as demais etapas (apenas 50%) e não há premiação extra, somente a premiação oficial da prova. Todas as filiadas receberão 10 pontos como bonificação de participação.

 

Durante a prova haverá uma equipe disponível para realizar a filiação das competidoras interessadas no “Espaço ANTT” durante a prova. A taxa de filiação para toda a temporada custa R$ 300,00 na Categoria Feminino e R$ 150,00 na Categoria Mirim. Caso a competidora desejar se filiar apenas para esta etapa, a taxa de filiação é de R$ 80,00 em ambas as categorias.

 

Para mais informações, acesse o site www.antt.org.br ou através das redes sociais.

 

Assessoria: Agência PrimeComm